Entrevista com Ananda Gomes

Ganhadora na Categoria Adulta do troféu de Melhor Atuação

A Ananda frequenta os teatros desde pequena em companhia de sua mãe. Foi assim que ela se interessou pelo teatro e passou a pensar que seria divertido participar de uma peça. Assim que a oportunidade surgiu, ela ingressou no teatro junto ao CPT no segundo semestre de 2015, mas a turma não vingou. Ela não desistiu, e em 2016 retornou e mantém-se firme e forte nos cursos de teatro. Ela nos conta que “Minha primeira peça foi o espetáculo "Veríssimo" baseado nas crônicas de Luis Fernando Veríssimo com direção de Anna Guisoli. Depois foram as peças "O retrato da Soberba", "De Walt à Disneylândia" e por último "Sonho de uma noite de verão" com direção de Jordana Luchini.”
  
A mãe da Ananda estava em um evento no Colégio Nossa Senhora das Dores e ficou sabendo através de nossa divulgação interna, sobre o curso. A ganhadora do prêmio nos conta que para este semestre, seu maior desafio foram as coreografias porque ela nunca tinha tido experiência com dança. Além disso, dar corpo ao personagem Puck foi também desafiador: “Ele é muito elétrico, arteiro, extrovertido e as vezes eu esquecia disso e dava uma "relaxada".
 
Ananda nos conta que sua dedicação foi fundamental para levar este prêmio: “Li o livro, assisti filme, série, outras peças de teatro e até mesmo Ballet sobre "Sonho de uma noite de verão". Ela afirma que o teatro a ajuda em vários âmbitos pessoais como comprometimento, trabalho em equipe, escutar outras opiniões e receber críticas. Além disso, ela acredita que é necessário “mergulhar” mais na cultura e história do teatro para que não se pense apenas sempre nos mesmos autores e obras como Shakespeare e seu renomado Romeu e Julieta.

As pessoas que mais colaboraram para que ela ganhasse este prêmio foram sua família e amigos que sempre a apoiam, e não se esquece de sua professora, Jordana Luchini, que muito a ensinou.

 

Para fechar com chave de ouro, ela deixa para você algumas dicas e faz o convite:

 

“Não perca tempo, faça teatro!!!! O teatro não trabalha apenas com a timidez como muitos pensam, trabalha também com comprometimento, trabalho em equipe, cultura, articulação na fala, volume da voz e muitas outras coisas importantes que levamos pra vida.
 
Fazer teatro é muito divertido!!!! Subir no palco para apresentar algo que você ensaiou durante muito tempo, se dedicou, ter aquele friozinho na barriga gostoso antes da apresentação e poder ver a reação do público "ao vivo e a cores" não tem preço. Fora que o preparo da peça também é muito emocionante, ver os figurinos, o cenário, a maquiagem e fazer tudo isso ao lado dos amigos.”

 

Parabéns Ananda! O CPT fica muito honrado em ter uma aluna dedicada e empenhada como você! Desejamos muito sucesso na caminhada teatral e artística!

 

Entrevista com Leandro Rodrigues

Ganhador na Categoria Adulta do troféu de Atuação Revelação

O Leandro chegou ao CPT em 2012, mas já tinha, à época, feito um curso livre no NET e tinha seu grupo amador, o Grupo Teatral Tripé. Ele passou por um momento de análise sobre seu desempenho e chegou à conclusão que gostaria de agregar novos elementos ao trabalho de seu grupo, e por isso, decidiu fazer um novo curso. Foi aí que o CPT entrou em sua vida!

Ele conta que “De cara tive um grande desafio, que foi As Estações de Pina Bausch, um espetáculo sobre dança. Ele me obrigou a usar meu corpo de uma forma que eu nem imaginava que fosse possível. Sofri um pouco, é verdade, mas deu certo.” E nos conta que “o que mais me atrai no CPT até hoje é a proposta que ele traz na sua essência, de proporcionar a experiência do teatro a quem a deseja. E também a forma como ela é trabalhada, respeitando as individualidades e as capacidades de cada um.”


Ele ficou sabendo que no Sesi havia curso de teatro após ouvir na rádio. Buscou mais informações na internet e gostou do que viu! Após se matricular então, ele conheceu de perto a dinâmica do CPT em seus cursos livres.

 

Quanto à personagem que interpretou no último semestre no espetáculo Roque Santeiro, ele fala que “o grande desafio de se interpretar um personagem clássico como Florindo Abelha está exatamente no fato de ele, ao longo do tempo, ter sido defendido por atores de grande vulto no cenário nacional, o que torna inevitáveis as comparações.” Leandro conta com satisfação sobre a honra que sentiu quando soube que o familiar de uma colega de elenco achou sua voz idêntica à do ator global Ary Fontoura. Ele nos conta ainda que achou a experiência divertida e destaca: “Florindo Abelha é um dos grandes arquétipos brasileiros, o político provinciano, cafona, populista e demagogo. É uma personagem fácil de construir porque é muito familiar e que ao mesmo tempo permite colocar muitos elementos próprios nele, a minha intuição, a minha verve... Foi ótimo de se fazer.”

 

Leandro conta que, para ele, o troféu saiu no momento certo. Ele diz que o óbvio é que ele fez um excelente trabalho como Florindo Abelha, mas que a premiação ressaltou mais do que isso: “de um ponto de vista mais particular, vejo este prêmio também como um reconhecimento ao conjunto da minha obra no CPT. A evolução da minha atuação ao longo dos espetáculos que fiz me credenciou não só a ser indicado, como já havia acontecido outras três vezes, como a ganhar o troféu. Faltava apenas a atuação decisiva, que veio agora, no momento certo”. Ele agradece aos colegas que o receberam bem na turma e o deram total respaldo para que desenvolvesse seu trabalho. Destaca ainda seu professor/diretor Argileu Rodrigues pelo apoio.

 

Em sua vida pessoal, Leandro conta que desde sempre o teatro o ajudou a encarar a vida com mais leveza e menos complexos e brinca: “Eu costumo dizer que me descobri no teatro um tremendo cara-de-pau”.

 

Ele sabe que ainda há muito que aprender, mas prefere não estabelecer objetivos prévios. Para ele, é importante conhecer o trabalho que irá realizar e, a partir de então, buscar as ferramentas necessárias para fazer o melhor que puder dependendo do que a personagem demandar. ​

Leandro deixa um importante recado àqueles que sonham em pisar no palco: “A Experiência do teatro é uma das mais ricas e mais saudáveis que se pode ter ao longo da vida. Então, eu diria faça, é ótimo, vale a pena! Mas faça por você, por sua vontade, por seus motivos. Do contrário, será perda de tempo e de dinheiro. Arte sem prazer não dá!”

 

E fecha com a reflexão: “Teatro é vida. Teatro é saúde. Teatro é conhecimento. Teatro é felicidade. Teatro é tudo de bom que você quiser que ele seja. Então, faça com que ele seja parte da melhor parte da sua vida!​”

 

Valeu Leandro! Estamos felizes e realizados com sua premiação! Esperamos que este seja apenas mais um pontapé para que busque novos desafios e persista na carreira. Sucesso!

 

Entrevista com Beatriz Ladeira

Ganhadora na categoria Infantil do Troféu Melhor Atuação

A Beatriz (ou Bia) é aluna do CPT desde 2014. Ela já participou de 7 espetáculos e diz que o que ela mais gosta no CPT são os professores e o processo de ensaios das peças. No último semestre ela fez o personagem Rumpelstiltskin no espetáculo homônimo.

 

Ela nos conta que sempre quis fazer teatro, mas vontade dela de subir ao palco se concretizou depois de assistir a um espetáculo de Jojô e Palito. Uma das crianças do elenco a contou, após o espetáculo, que era nossa aluna, e assim que completou 7 anos, a Ana se matriculou junto ao CPT.

 

A Bia afirma que precisou sair de sua zona de conforto no último semestre. Sua personagem, “um duende rabugento, que transformava palha em ouro” era diferente das personagens que ela estava habituada a fazer.

 

Assumir novos desafios, dedicação e atenção às dicas tanto de sua professora quanto da Roberta Luchini, que acompanhou algumas aulas e deu dicas de criação de personagem, foram para a Ana Beatriz fatores importantes para que ganhasse o Troféu do CPT. Além delas, o professor Argileu, que a ajudou na maquiagem, seus colegas e seus pais e irmão foram também pessoas importantes para que ela levasse este prêmio.

 

Confessando que ainda tem muito a aprender, a Beatriz abre o jogo e afirma que “O teatro me ajudou a ser mais organizada, responsável e a trabalhar em equipe”. Ela diz ainda que quando se faz teatro, novas amizades surgem e você se torna uma pessoa mais responsável.

 

Para fechar, a Ana deixa uma mensagem especial: “Fazer teatro é maravilhoso!!! É dar asas a nossa imaginação e ter momentos mágicos que levaremos para a vida inteira”.

 

Nossos parabéns Beatriz! Sua dedicação e empenho valeram a pena! Desejamos muito sucesso nos próximos desafios!

 

Entrevista com Beatriz Mansur

Ganhadora na categoria Infantil do Troféu Atuação Revelação

A Beatriz, carinhosamente Bia, já é aluna do CPT há alguns anos. Ela nos conta que uma amiga de sua irmã já era nossa aluna, e isto foi importante para obter referências e se matricular. Sua mãe sempre a achou bastante “teatral”, mais um motivo para que a Bia entrasse para nosso curso! Hoje ela diz” Eu gosto de tudo no CPT: das aulas, dos professores, de me arrumar e maquiar para o espetáculo e, principalmente, atuar”.

 

No espetáculo Aristogatas, a Beatriz fez a Maria, uma gatinha meiga, delicada e fofa. Ela conta um desafio que teve: “ela não tinha muitas falas, mas ficava no palco quase que o tempo todo, eu tinha que representá-la muito bem e ter muita presença de palco”. Além deste, ela também sentiu-se desafiada em outras áreas como cantar e fazer o corpo de um gato “tive que prestar bastante atenção nas características do meu personagem, para poder representá-lo bem e conseguir passar para o público essas características, como o andar meigo”.

 

A Bia acha que evoluiu muito em seu último trabalho, e isto com certeza a ajudou a levar o prêmio. Ela acrescenta que, como gostou muito de fazer a Maria, ela provavelmente foi ainda mais motivada a vencer as dificuldades e crescer como atriz. Ainda assim, ela pensa que precisa se desenvolver mais para “papéis durões”. Quem sabe não está aí uma boa dica para o próximo diretor da Bia, não é?

 

No âmbito pessoal, ela nos conta que o teatro a ajudou a ser menos tímida, a se expressar melhor, a saber colocar melhor a voz ao comunicar-se dentre outras coisas “Hoje eu apresento trabalhos na escola com muita segurança, sem medo, falando com uma impostação da voz adequada, que todos entendem, entre outras coisas”.

 

Ela agradece especialmente à sua mãe e ao seu professor Argileu que a ajudaram a memorizar o texto e a construir sua personagem, respectivamente. Acrescenta também seus colegas de turma: “Todo o grupo se empenhou e trabalhou em harmonia, fazendo com que toda a peça fosse um sucesso. A Ana Clara esteve muito bem como mãe gata, contribuindo muito para a performance do meu personagem”.

 

Parece até que a Bia é nossa garota propaganda, mas tudo que ela fala, é exatamente aquilo que acreditamos e que gostaríamos que as pessoas pensassem sobre o teatro. Assim sendo, melhor mesmo é deixar que ela fale com suas próprias palavras!

 

Sobre o que dizer a alguém que quer começar a fazer teatro mas ainda não começou:

 

“Vai em frente! A experiência é muito boa. Você aprende a perder a timidez, a aceitar seus erros e os dos outros, falar melhor em público, com melhor dicção. (o teatro) Ajuda a ficar mais descontraído na hora de apresentar um trabalho na escola, entre outras coisas”

 

Um recado especial ao público:

 “Se você gosta de atuar não perca tempo e venha para o CPT  fazer o que você gosta. Não adie seus sonhos, pois a vida passa muito rápido e a gente perde o tempo certo de fazer as coisas. Temos que aproveitar enquanto somos crianças e jovens, que temos tempo para fazer o que gostamos e podemos escolher o nosso futuro”.

 

Parabéns Bia! Você realmente demonstrou que o teatro supera o ato de estar no palco! Continue crescendo! Estamos com você!

 

Entrevista com Juju Lansdowne

A Júlia é aluna do CPT há apenas 6 meses. Ela nos conheceu através de sua amiga Jussara.

No espetáculo Rumpelstiltskin, história dos irmãos Grimm adaptada por Ronaldo Boschi e dirigida por Juliana Almeida, ela fez a personagem da Fada Amarela. Ela ajudou Mildred a tecer fios de palha em ouro.

Com este trabalho ela disse ter superado sua timidez além de ter aprendido sobre posicionamento de palco, técnicas de relaxamento e teve também uma “excelente interação com os outros alunos”, diz ela.

Ela afirma que indicaria a outras pessoas fazer teatro e acredita ter sido indicada ao prêmio por ter sido aluna frequente aos ensaios e por ter participado bastante de cada aula.

A Júlia, ou Juju, como prefere ser chamada no teatro, agradece sua professora Juliana Almeida que muito a ensinou, e também ao Argileu por seu apoio.

 

O CPT fica muito feliz em ter alunas como você Júlia! Esperamos que continue a sua caminhada com muita alegria e realização. Parabéns pela indicação!

 

Entrevista com Nathalia Tenaglia

A Nathalia é nossa aluna desde 2013 e já foi ganhadora de nosso troféu na categoria infantil há alguns anos. Ela ficou sabendo de nosso curso através de sua mãe que trabalha no sistema FIEMG e ficou sabendo que o CPT estava oferecendo curso de teatro no Sesi.

Sua personagem este semestre no espetáculo Testemunha da Acusação foi Greta. Ela a descreve: “Greta é uma mulher  "sem noção", já que durante o horário de trabalho em um escritório de um advogado ela age como se estivesse na própria casa, fala o que pensa e parece não perceber o quão séria é a situação que seu chefe tem que lidar. No meu ponto de vista, Greta é a pontinha cômica da peça, justamente por esse seu jeito despreocupado que destoa dos outros personagens.”

Ela afirma ter aprendido várias coisas novas este semestre “consegui melhorar um pouco de cada coisa” afirma, mas diz que mais significativamente melhorou o ritmo “Como todas as coreografias tínhamos que marcar o tempo com bastões e pelo fato peça ter cenas longas, que corriam o risco de ficarem cansativas, tivemos que praticar bastante nosso ritmo, por isso acho que todos nós evoluímos bastante nisso.”

Nathalia não só indicaria, como já indica fazer teatro a todos que conhece e têm interesse na área, para aqueles que são tímidos como ela mesma diz ser e “querem se soltar”.

Por ter evoluído entre o espetáculo apresentado no primeiro semestre e no último, a seu ver, foi este o maior motivo de sua indicação ao prêmio. Ela diz conseguir realizar coisas que nem imaginava que conseguiria, e espera melhorar ainda mais no futuro.

Nathalia fecha sua entrevista deixando um agradecimento a todos que a apoiaram durante todo e semestre e àqueles que a foram prestigiar no dia da grande estreia. Deixa ainda um agradecimento especial à Jordana, sua diretora que possibilitou o espetáculo e muito a ajudou e claro, não deixa de deixar seu carinho especial por seus pais que “me apoiam desde o começo da minha trajetória no teatro e sem eles eu jamais estaria aqui”.

Parabéns Nathalia! O CPT fica muito contente em tê-la por perto sempre em busca do crescimento. Continue assim!

 

Entrevista com Bruna Ferreira

Bruna faz teatro com o CPT há 1 ano e nos conheceu através das redes sociais.

Sua personagem este semestre foi D’Artagnan, um jovem audacioso que mora na cidade de Gasconha com seus pais e que parte para Paris em busca de se tornar um mosqueteiro. Ele inicialmente, ele se mete em algumas encrencas que o levam até o rei, onde conhece Mademoiselle Juliete e é convocado pela rainha da França (Ana D`Astria) a uma missão sigilosa repleta de grandes aventuras juntamente com Athos, Aramis e Porthos. Eles haviam de resgatar uma joia valiosa da rainha ´´o colar de esmeraldas``. Tal missão torna D`Artagnan um mosqueteiro do rei e o leva a conquistar o coração de sua amada, Juliete.

Ela afirma ter se fascinado com os costumes franceses e estudou sotaque, esgrima e comportamento para sua atuação. Bruna diz que se puder, indicará fazer teatro às pessoas porque a atuação permite colocar em prática o companheirismo, a disponibilidade, a comunicação, concentração, disciplina dentre outras coisas.

Acredita ter sido indicada à premiação do último semestre porque se destacou em seu trabalho durante o semestre e cumpriu alguns requisitos fundamentais ao teatro.

Ela se sente orgulhosa por perceber seu crescimento profissional e humano e por poder sentir o processo que a leva a tal crescimento.

Para se despedir, ela agradece à sua família, à equipe do CPT e a “cada um dos meus colegas, que se mantiveram firmes lado-a-lado no dia da estreia. Vocês provaram ser um elemento valioso e indispensável nesta conquista alcançada”. Ela agradece também à sua professora Cris, fonte de grande inspiração e exemplo e deixa ainda uma mensagem final:

 

“Estar ao lado de pessoas tão divertidas, companheiras e maravilhosas é um grande privilégio. Todos estão de parabéns,  afinal, o sucesso de um projeto depende do empenho de cada um dos membros de uma equipe. Parabéns e obrigada pessoal!!!”

 

Nós é que agradecemos por ter você conosco Bruna! Muito sucesso na

carreira que está apenas começando!

 

Entrevista com Duda Silva

A Duda, faz teatro no CPT desde o primeiro semestre de 2017, quando apresentou o espetáculo Um Dia com Chiquinha e, no segundo semestre, apresentou Rumpelstiltskin. Ela conheceu o CPT através de sua tia, que trabalhava na recepção do Sesiminas. Essa tia, muito esperta, percebeu a vontade da Duda e a indicou para nosso curso!

 

Sua personagem no espetáculo Rumpelstiltskin foi Mildred, uma fiandeira muito

amável e carinhosa órfã de mãe, que foi criada pelo pai, um moleiro muito mentiroso que bebia muito. Mildred, ela com toda sua delicadeza e com ajuda das fadas transformou palha em ouro para atender à demanda do Rei. Duda afirma que “essa história envolveu muita magia e diversão”.

 

Com este trabalho, a Duda diz ter aprendido a ser persistente para atingir seu objetivo maior que foi o de desempenhar bem sua personagem. Ela conta que “A minha personagem era uma menina delicada, sendo assim tive que melhorar um pouco minha fala, que teria que ser dita mais suavemente”. Ela nos conta ainda que teve ajuda de sua professora Juliana já que se considera uma menina um pouco agitada e ansiosa. “Aprendi falar mais devagar e ser mais delicada para desempenhar bem minha personagem”.

 

Para ela, sua dedicação, esforço foram fundamentais para que garantisse sua indicação ao prêmio neste semestre: “quando gostamos do que estamos fazendo não medimos esforços, fazemos sem sentir, e ser indicada para o prêmio foi muito gratificante”.

 

A Duda já indicou a uma amiga experimentar fazer teatro que estará com a gente em 2018! Leia o agradecimento da Duda e se inspire a vir fazer teatro também!

 

“Primeiramente agradeço a Deus, sem ele nada seria possível na realização dos meus sonhos, aos meus pais que fazem de tudo e mais um pouco, pra me ver feliz, mesmo sem poder, me apoiam e se emocionam ao ver meu desempenho, agradeço também a Juliana, uma professora espetacular, dedicada, aprendi muito com ela, (Obrigada Juliana e equipe CPT por me indicar ao prêmio, fiquei muito feliz) agradeço aos meus colegas de sala também, fiz novas amizades, aprendi que trabalhar em equipe é fundamental para o bom desempenho de qualquer trabalho. Um grande beijo para todos que estavam envolvidos nessa magia que é o Teatro.”

Parabéns Duda! Estamos muito felizes que tenha aprendido novas coisas e se descoberto mais! 

 

Entrevista com Gabriela Salles

A Gabriela está no CPT há 2 anos. Sua mãe ficou sabendo dos cursos e trouxe a Gabriela para nós! Este semestre ela fez o Ministro no espetáculo Rumpelstiltskin, dirigido por Juliana Almeida. A Gabriela descreve seu personagem como exigente, mas “meio maria vai com as outras”, afirma.

 

Para ela, os grandes aprendizados do semestre são importantes a todos, vejam só: ser uma equipe e ter opinião própria. De acordo com a Gabriela, sua indicação ao prêmio aconteceu porque ela se saiu bem em sua atuação além de ter seguido as indicações da direção.

 

Ela afirma que indicaria sim a alguém fazer teatro, e deixa um recado final de agradecimento: “Agradeço aos meus pais, à minha professora e aos meus colegas por terem me ajudado.”

 

Parabéns por mais esta indicação Gabriela! Continue se empenhando e crescendo!

 

Entrevista com Sílvia Barcelos

A Sílvia faz teatro com o CPT há 4 anos, e foi através da indicação de uma amiga que ela ficou sabendo da gente.

No espetáculo Testemunha da Acusação, a Sílvia teve duas personagens “o primeiro era uma mulher que estudava e trabalhava em laboratório e imaginei que ela fosse bem centrada nos estudos, que ficaria nervosa ao depor no tribunal. Mais tarde recebi o segundo, também mulher, fazia parte da promotoria, bem confiante e com respostas na ponta da língua para fazer a entrevista com o réu”.

 

A Sílvia compreende o processo teatral como algo constante. Sempre haverá algo a aprender. Este foi o primeiro trabalho dela na turma adulta do CPT, e ela se sentiu desafiada “relembrei que temos que trabalhar duro para alcançar os resultados que queremos e de como é emocionante ter desafios novos”.

 

Quanto aos porquês da indicação ao prêmio, seguramente Sílvia nos conta que sua postura e esforço foram indispensáveis. Um dos papéis ela recebeu pouco tempo antes da estreia, mas isso não a abalou. Ela também acredita que passar confiança aos colegas tornou as coisas mais fáceis.

 

Ela não só indicaria, como já indicou a várias pessoas o fazer teatral. Para ela, o “teatro muda e acrescenta demais à vida das pessoas” e fecha com um agradecimento carinhoso à sua professora, família e colegas: “Queria agradecer ao elenco porque eles fizerem tudo ser tão mais fácil já que são pessoas legais e se importam de verdade. À diretora Jordana, que nos guiou lindamente até termos nossas próprias pernas e eu digo que só quem já foi aluno dela sabe como é a aula, a peça e do que ela é capaz. Quando digo que cresci muito no segundo semestre de 2017 não é brincadeira. E agradecer também a minha família e amigos porque eles me apoiam muito no que eu faço. Thanks galera, esse ano tem mais”.

 

Parabéns pela indicação Sílvia! Você demonstrou grande maturidade e empenho! Que venham os espetáculos de 2018!

 

Entrevista com Rafaela Jota

A Rafaela está no CPT há 4 anos. Ela é aluna nossa na turma infantil do Colégio N. Sra das Dores. No seu último espetáculo, Maroquinhas Fru-Fru, ela viveu a personagem que dá nome à história “minha personagem era uma garota fofa e confeiteira que encantava a todos que conhecia”, descreve.

Durante a preparação para o espetáculo, nos processos de ensaios e encontros, ela considera que aprendeu a trabalhar em equipe e também recebeu importantes dicas de atuação.

Ela acha que recebeu a indicação ao prêmio porque se dedicou bastante para fazer sua personagem.

 

Ela afirma que com certeza indica às pessoas para fazerem teatro, e deixa um recado especial principalmente para a equipe CPT, veja só:

“Muito obrigada por terem me ajudado a melhorar minha atuação, por terem me ensinado dicas e tudo o que é preciso para ser uma boa atriz.”

Parabéns Rafa! Esperamos que continue crescendo!

 

Entrevista com Lourdes Camille

A Lourdes está no CPT há um ano e meio. Ela ficou sabendo da gente através das redes sociais e se interessou muito, afirma.

Ela nos conta um pouco da personagem que rendeu sua indicação no espetáculo D’Artagnan e os Três Mosqueteiros: “Juliette, é uma personagem incrível, ela é dama de honra da Rainha. Juliette é uma personagem muito meiga e apaixonada pelo aspirante a mosqueteiro, Dartagnan. De fato ela encanta todos à sua volta. Foi uma experiência incrível interpretar a personagem”.

 

A Lourdes considera ter aprendido algumas coisas novas com este trabalho, e considerou desafiadora a experiência de interpretar uma personagem tão delicada, que a fez mostrar seu lado mais apaixonado e meigo.

 

Sua atenção às aulas, seu empenho em realizar uma boa interpretação da personagem, sua dedicação, seu empenho em decorar as falas e sua colaboração aos colegas são, a seu modo de ver, os principais fatores que renderam sua indicação ao prêmio.

 

Ela indica às pessoas a experiência teatral porque considera que ‘fazer teatro é uma experiência incrível e satisfatória, espero fazer para o resto da minha vida”. E para fechar sua entrevista, a Lourdes deixa um recado especial àqueles que ela considerou importantes para seu sucesso no último trabalho: ‘Eu queria agradecer muito à Cris, minha professora, por todo apoio, atenção, e dedicação que ela tem com seus alunos. Cada aula ela nos ensina coisas novas para sermos bons atores. Também queria agradecer os meus colegas, que estiveram sempre comigo, ajudando a decorar falas. E obrigada também toda a equipe do CPT! 

 

Valeu Lourdes! Parabéns por mais este trabalho!

 

Entrevista com Anna Lopes

Há 1 ano no CPT, a Anna Clara nos conheceu através das redes sociais. No último semestre de 2016 ela compôs o elenco do espetáculo Roque Santeiro, e nos conta: “tive o prazer de interpretar a Nina. Ela era uma criada da Viúva Porcina que fazia de tudo para agradar a patroa e adorava fazer comentários sobre os assuntos que estavam sendo tratados. A Nina era o braço direito da viúva”

 

Ela conta que aprendeu várias coisas durante o tempo de ensaios, e destaca “Técnicas de palco, ritmo de cena, dinâmica da montagem de um espetáculo e, principalmente, a confiar no trabalho do seu parceiro de cena”.

 

Ela percebeu seu desenvolvimento quando comparou seu primeiro com seu segundo trabalho no CPT. Segurança no palco e a compreensão de sua personagem na história são alguns pontos importantes que, ela acredita, lhe renderam a indicação ao prêmio.

 

Ela fecha sua entrevista dizendo que indica teatro a todas as pessoas, e completa: “O teatro vai muito além de estar no palco. É um ganho pessoal imenso” e deixa um agradecimento caloroso àqueles que a ajudaram em seu processo: “Agradeço a minha turma de Teatro e ao diretor e professor Argileu Rodrigues, por terem sido essenciais na minha indicação. O sucesso de um ator no palco depende de inúmeros fatores, principalmente do trabalho em equipe, da cooperação, empenho e responsabilidade dos parceiros de cena. Logo, divido o mérito da minha indicação com todos esses que possibilitaram a realização de um bom trabalho”.

 

Parabéns pela indicação Anna! Continue se empenhando em busca de novas realizações e conte conosco!

 

As entrevistas realizadas em Festivais anteriores estarão disponíveis por aqui em breve. Continue nos acompanhando para ter acesso a todas!

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon

© 2014 por RLB/CPT Todos os direitos reservados