Entrevistas com Ganhadores e Indicados ao Troféu CPT do 49º Festival de Teatro Popular Permanente Ronaldo Boschi

O 49º Festival aconteceu cumprindo todas as normas de segurança e protocolos do COVID. Ainda assim, foi uma experiência memorável para todos que acompanharam o processo de dentro ou de fora. Também para o público que compareceu e pode desfrutar de momentos alegres no teatro mesmo quando o mundo lá fora parecia ainda um pouco estranho.

Como tudo foi diferente, nossas turmas foram reduzidas bem como o número de alunos. Ainda assim, o CPT optou por fazer a Premiação normalmente, implementando algumas mudanças como o número de inidicados e troféus. Nosso parabéns a todos os alunos que estiveram conosco em tempos adversos. Aos indicados e ganhadora, nosso abraço especial pelo empenho e por representarem todos os envolvidos no 48º Festival de Teatro Popular Permanente Ronaldo Boschi.

 

Ganhadora

Pietra.png

Indicados

2- Sophia.png
3- Amanda.png
4- Diana.png
5- Cristiano.png
 

Entrevista com a ganhadora Pietra Ferreira
Indicada na Categoria Infantil

1- Como se sentiu ao saber que era a ganhadora do Troféu CPT?

Muito feliz! Não passava pela minha cabeça que seria a grande ganhadora do troféu CPT. No momento do anúncio fiquei em "choque" mas depois não parava de comentar sobre o prêmio. 


2- Há quanto tempo faz teatro?

Estou no CPT desde 2019, com a pandemia em 2020 parei, porque junto com meus pais definimos que as aulas online não seriam tão proveitosas, então retornei com tudo agora em 2021.

3- Qual foi sua personagem este semestre e o que ela te ensinou?

Emília, do Sítio do Picapau Amarelo. Ela me ensinou que devemos ser sempre nós mesmos, do nosso jeitinho.

4- Quais foram os desafios mais difíceis de superar durante o semestre considerando o contexto da Pandemia?

O uso de máscara, porque dificulta a saída da voz e manter o distanciamento social, pois tinha com Narizinho, personagem com quem contracenei em quase todas as cenas, muitos momentos de contato físico.

5- Responda em poucas palavras:
a) Quando chega o dia da aula de teatro eu... fico ansiosa para as atividades.
b) Durante os ensaios percebo que fico... mais feliz e alegre.
c) Aprendi com o teatro que... juntos somos mais fortes.
d) Ainda quero, com o teatro... me tornar uma atriz profissional.
e) A experiência deste semestre foi... de muitos aprendizados com a professora Camila e emocionante com o prêmio que ganhei!

6- Quais qualidades dos grandes artistas você mais admira?

A verdade que passam com seus personagens.

 

7- Quem você levaria para fazer teatro com você e por que?

Minha amiga Elloá, porque acho ela um pouco tímida e acredito que o teatro poderia ajudá-la nisso e também minha irmã, pois acho que ela tem talento.

 

8- Deixe um recado especial para aqueles que tornaram seu semestre especial.

Agradeço aos meus colegas da turma pela colaboração,  à minha professora por tudo que me ensinou, à minha família pelo apoio e a Deus pela oportunidade.

Parabéns pelo troféu Pietra! Todos nós do CPT ficamos muito felizes com sua conquista especial. Ela só mostra o quão empenhada você foi durante todo o semestre.

IMG_1399.JPG
IMG_1422.JPG
IMG_1387.JPG
 

Entrevista com a indicada Sophia Evelyn

1- Quando começou o seu interesse pelo teatro?

Iniciou aos 5 anos de idade após uma seletiva para modelo no grupo MGT em BH e lá vimos a necessidade de desenvolver esta área visando mesclar também para publicidade uma vez que a arte de interpretação ainda não dominavamos mas poderíamos aprender e desenvolver. 

 

2- Há quanto tempo faz teatro?

No CPT Estamos no 3° semestre já externamente começamos aos 6 anos e no trajeto até aqui nosso primeiro instrutor disse que não tínhamos habilidade para tal, mas estamos perseverando. 

3- Como conheceu o CPT?

Internet, nome Sesi reconhecido. 

4- Qual foi sua personagem este semestre e quais as características mais marcantes dela?

Narizinho, o mundo mágico que ela carregava consigo de possibilidades e amizades principalmente a família, a vovó e a boneca, eu tenho uma Bisa de 88 anos que ama cuidar dos animais, plantar e fazer biscoitos, bolos e ela já fez bonecas de pano pra minha mãe. 


5- Qual foi seu maior desafio este semestre com sua personagem?

 

A habilidade de transmitir a 'emoção' que ela sentia. Em cada travessura ou aventura eu ficava pensando o que ela pensou na hora e como criança que sou se TAMBÉM foi legal. Interessante também os cenários, idealizar realismo nas ações do que era na verdade apenas sub texto. 

 

6- O contexto de Pandemia alterou o processo de ensaios? Como? 

Sim,  hoje as atividades de interação agora é cada um no seu espaço sem muito contato, mas nos adaptamos super bem com todo respaldo. 

7- O que você mais gosta no CPT?

A forma de ensinar, os aquecimentos, amamos também a forma lúdica, a estrutura e é claro, a professora. 

 

8- Para quem você indicaria o CPT? 

Todos os amigos, conhecidos e já o fiz também nas minhas redes sociais. 

9- Quais você acredita serem os aspectos principais para sua indicação ao Troféu?

Comprometimento, disciplina, senso de equipe, empenho, respeito pelos colegas, atuação, participação, interesse, assiduidade. 

 

10- O que você diria a quem nunca fez teatro?

A arte do teatro vai além da atuação artística, ela alcança o seu dia a dia, na sociedade, trabalho, escola e na descoberta do seu 'eu' demonstrando o tamanho das suas habilidades de socializar, emocionar se entregar, sorrir e fazer sorrir, se conectar.

Como diria o livro de Constantin Stanislavski no trecho de Elisabeth Reynolds preencher seus papéis com a proporção de seres humanos inteiros (livro A Construção da Personagem) 

 

11- Gostaria de fazer um agradecimento especial?

Sim, à professora Camila Verona que dividiu conosco seu conhecimento, tempo e carinho, à família CPT que acredita na arte há mais de 45 anos formando novos talentos e aos nossos colegas de turma e todos da retaguarda. 

Parabéns pela indicação, Sophia! Olha, nós do CPT acreditamos fortemente em todo seu potencial, e vemos seu empenho e esforço em cada trabalho. Continue crescendo cada vez mais!

IMGS Festival_Alunos_0034_IMGS Festival_Alunos 39.jpg
 

Entrevista com a indicada Amanda Poeiras

1- Quando começou o seu interesse pelo teatro?

Meu interesse por atuação começou bem cedo, por volta dos 5 anos. Na minha casa, cresci com minha mãe assistindo novelas, e um dia perguntei o que as pessoas que estavam “dentro da televisão faziam”, ela me disse que eles eram atores, e na hora disse que queria ser “atora” e assim se desenvolveu o amor pela arte da atuação e, consequentemente o amor pelo teatro. Também, sempre fui muito comunicativa e o interesse pelo teatro veio logo em seguida. 

 

2- Há quanto tempo faz teatro?

Faço teatro há 9 anos. O meu primeiro curso de teatro foi aos 10 anos de idade, e desde então busco sempre aprender ainda mais sobre teatro.

 

3- Como conheceu o CPT?

 Conheci o CPT através do SESI, escola onde me formei no Ensino Médio.

 

4- Qual foi sua personagem este semestre e quais as características mais marcantes dela?

Interpretei a Maria Rosa em O Feijão e o Sonho. Maria Rosa é uma pessoa intensa, tem um temperamento difícil, é mãe de 3 filhos, tem muitas preocupações com a criação dos filhos e com o sustento deles e precisa lidar com o marido, que é totalmente o oposto dela. Enquanto ela é o lado realista, a razão da relação, o Juca é a emoção, um cara totalmente sonhador. 

 

5- Qual foi seu maior desafio este semestre com sua personagem? 

O maior desafio foi entender as camadas da Maria Rosa  e como passar as nuances e particularidades da sua personalidade e escolhas para o público, sem tornar a intensidade das palavras e das ações em uma personagem desagradável.

 

6- O contexto de Pandemia alterou o processo de ensaios? Como? 

 Depois de 1 ano e meio de pandemia, tivemos que reaprender a conviver em grupo, e foi desafiador adaptar uma arte de contato aos  protocolos de segurança contra a COVID, como distanciamento social e o uso de máscara. A pandemia nos trouxe uma nova maneira de fazer teatro.

O distanciamento social (fica cada um no seu quadrado, literalmente) durante uma cena mais intensa, ou uma cena que seria feita de outra maneira antes desse período, fez com que, cada um de nós, utilizasse mais da criatividade e do lúdico que o Teatro nos proporciona. Então reforçamos que podemos transformar o palco em qualquer lugar do mundo e tornar as ações cênicas compreensíveis, mesmo que apresentadas de uma maneira diferente. Por exemplo: ao puxar a orelha da Anita e da Irene, filhas da Maria Rosa, com a distância de 1 metro de cada uma, sem o contato físico. Essas mudanças, de forma geral, promoveram, acima de tudo, muito aprendizado.

 

7- O que você mais gosta no CPT? 

Gosto muito da liberdade criativa e dos desafios propostos durante o processo de formação, e do repertório cultural e artístico que a professora Jordana traz em cada aula, nos tornando artistas mais completos.

 

8- Para quem você indicaria o CPT? 

 Indicaria o CPT para todos que desejam ter experiências com teatro, seja para conhecer ou se profissionalizar como ator.

 

9- Quais você acredita serem os aspectos principais para sua indicação ao Troféu?

Acredito que a atuação e a dedicação com a personagem e com a peça tenham sido fatores primordiais para a indicação. A evolução durante o curso também foi notável. Além da parceria e conexão da turma, que permitiu trocas valiosas durante as aulas, essenciais para o sucesso do espetáculo e fundamentais para a indicação.

 

10- O que você diria a quem nunca fez teatro?

Teatro  é a melhor experiência que alguém pode ter! 

É onde você vivencia que tudo é possível, é contar histórias das mais comoventes às mais fantasiosas, e ser transformado nos níveis mais profundos do seu “eu”. 

Auxilia no seu crescimento pessoal, no autoconhecimento, e você se torna uma pessoa melhor, aprendendo lidar com um olhar diferente para outras realidades, antes inimagináveis. Além disso, colabora no desenvolvimento de habilidades interpessoais como: comunicação; desenvoltura e oratória.

É uma experiência para mudar sua vida!

11- Gostaria de fazer um agradecimento especial?

Agradecimento especial a toda minha turma que se uniu no processo  de construção da Maria Rosa, em especial ao Matheus Corrêa pela parceria em cena. Obrigada por ser o Juca e ser o melhor  pior marido para a Rosinha e  à  professora Jordana por me proporcionar viver a Maria Rosa, de forma tão profunda e enriquecedora. 

Um agradecimento extra à toda minha família e amigos que incentivaram o meu amor ao palco, e todos que puderam ir prestigiar a peça, amo muito todos vocês!

Parabéns pela indicação, Amanda! Sua dedicação e amor pelo teatro e pelo palco são notáveis! Esperamos ser parte da sua jornada de formação como atriz por muito tempo!

Amanda.jpg